O mundo segundo os portugueses – São Paulo

Jorge Vaz, Guionista e Coordenador de Guiões, São Paulo, Brasil

– O que o levou a sair do país?

Quis experimentar um outro mercado, crescer profissionalmente e enfrentar novas experiências. Quando saí do país comecei por um programa de bolsas profissionais, o Inov-Art. De seguida recebi um convite para ficar a trabalhar na produtora onde fiz a bolsa e decidi aceitar.

– Qual deve ser a base da estratégia de quem quer arranjar trabalho fora do país?

Preparar-se para ser flexível e rápido a resolver problemas, tanto no ambiente de trabalho quanto no quotidiano.

– Quais foram os maiores desafios que encontrou?

A chatice da burocracia e a distância da família e dos amigos.

– A oportunidade que vive lá fora foi importante para a progressão profissional?

Sim, porque me fez subir a um cargo de chefia num mercado muito maior do que o português.

– Vê a experiência internacional como essencial para o mercado de trabalho actual?

Por muito curta que seja, uma experiência de trabalho internacional pode abrir a cabeça e fazer questionar soluções e problemas que, num determinado mercado, são dados como adquiridos e não têm que o ser.

– Sente que é mais valorizado em Portugal por ter experiência internacional?

Não voltei a Portugal entretanto, mas acho que qualquer pessoa é mais ou menos valorizada segundo a experiência que tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *