Guia de Aveiro – As melhores cidades para trabalhar

Portugal está na moda e isso é inegável. Mas existem inúmeros motivos que acrescem a esta tendência, para além do clima, gastronomia ou cultura. Há vários núcleos urbanos, além de Lisboa e Porto, que estão a crescer a ritmo acelerado nas últimas duas décadas e a ganhar um lugar ao sol entre as boas cidades para se trabalhar em Portugal e na Europa, e com uma capacidade exponencial de crescimento ao nível do emprego e qualidade de vida.

Hoje apresentamos Aveiro.

O distrito tem revelado, ao longo das últimas décadas, um dinamismo empresarial ímpar. Caracteriza-se por uma forte densidade empresarial e por um aparelho produtivo onde predomina o sector industrial, com empresas de referência, muitas assumindo uma forte vocação exportadora.

Segundo dados estatísticos oficiais, o peso da produção global do distrito no total da produção nacional atingia os 5,7%, valor superado apenas pelos distritos de Lisboa e do Porto, e bastante acima dos vizinhos Coimbra e Viseu. Também no volume de negócios e no de exportações, a região era apenas superada por aquelas duas grandes cidades.

Ainda segundo os mesmos dados, a indústria transformadora e o comércio registam 50% e 32% do volume de negócios da região, respectivamente. Destaca-se ainda o sector das pescas, cujo peso na economia nacional é de 19% do total das vendas.

Das actividades industriais de maior relevo, destacam-se sectores tradicionais, como a metalomecânica, a indústria química, a madeira, a cortiça e também a indústria produtora de bens de componente tecnológica.

Aveiro, município com cerca de 78 mil habitantes (714 mil no Distrito), é exemplo de uma região em que a Universidade – reconhecida nacional e internacionalmente – tem, de facto, tido influência na comunidade e no tecido produtivo, distinguindo-se nos últimos anos no campo das tecnologias, robótica e engenharia.

Muito recentemente, a propósito de um estudo feito na área, o presidente da Associação Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA) considerou que o distrito pode aumentar as exportações e substituir importações, mas que ainda lhe falta mão-de-obra qualificada. É precisamente nessa mão-de-obra que as empresas da região estão a apostar agora.

 

Empresas

De entre as empresas cujos resultados se destacam estão, por exemplo, a Amorim & Irmãos, a Faurecia, a Prio, a Renault Cacia, a Bosch, a Bondalti Chemicals, a Ferpinta, a Yazaki, a Colep e a Alves Bandeira.

É bom verificar as oportunidades nestes e noutros grupos, nos principais sites de recrutamento nacional. As páginas das empresas têm geralmente um formulário de recrutamento próprio, mesmo para candidaturas espontâneas.

 

Geografia

Pertence à província tradicional da Beira Litoral e fica, na sua maior parte, abaixo dos 100 m de altitude, ocupando uma planície costeira de cerca de 40 km de largura, na parte sul do distrito. A paisagem é dominada pela Ria de Aveiro e pelos rios da bacia hidrográfica do Vouga. Para oriente e para norte, o relevo torna-se mais acidentado. Ainda dentro do distrito sobe-se às alturas das serras do Caramulo e da Arada, estendendo-se depois até à serra do Montemuro, a nordeste.

O litoral é arenoso, em paisagem típica de zona lagunar, com um cordão de dunas a separar as águas do Atlântico das águas calmas da ria – onde deslizam os coloridos barcos moliceiros.

A Ria e a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto, a apenas 15 minutos do centro, são pontos de interesse que não devem escapar a ninguém.

A sul fica a Praia da Barra, onde se encontra o segundo mais alto farol do país, e a Costa Nova, conhecida pelos palheiros às riscas. Bem perto fica Ílhavo, cidade de fortes tradições pesqueiras bem documentadas no seu Museu Marítimo.

 

Habitação

Arrendar Casa

Se quiser arrendar uma casa pequena, T0 ou T1, tem hipóteses entre os 300 e os 450 euros.

Arrendar Quarto

Há muitos quartos para arrendar na cidade, a partir dos 120 euros e até sensivelmente aos 250.

Comprar

Embora esta opção seja habitualmente encarada mais tarde, os preços variam entre os 50 e os 150 mil euros para uma habitação média, entre T1 e T3.

 

Transportes

A cidade é muito plana e de pequena dimensão e a grande vantagem de morar no centro é poder fazer quase tudo a pé ou de bicicleta. Para aproveitar, há o excelente projecto das bicicletas BUGA (Bicicleta de Utilização Gratuita de Aveiro), para incentivar um estilo de vida mais ativo e saudável entre os munícipes. A rede de transportes públicos é ainda pouco eficiente, com um bilhete de autocarro a poder custar 1,90 e sem ter a frequência necessária. Os comboios são bons e funcionam bem, estando a uma hora do centro do Porto e a duas horas do centro de Lisboa.  Para trabalhar ou até morar nos arredores é preciso ter carro. Pode também verificar os vários sites de boleias partilhadas, que privilegiam a economia partilhada em todo o território.

 

Universidade

A Universidade de Aveiro (UA) é uma das grandes instituições académicas públicas do país, com um grande Campus Universitário cheio de infra-estruturas e cerca de 15 mil alunos. Entre vários outros patamares que a distinguem, ocupa o 69º lugar no ranking mundial das 100 melhores instituições de ensino superior com menos de 50 anos. A universidade está sempre a promover actividades várias, palestras, etc. Por isso, mesmo que não planeie estudar, não deixe de espreitar os seus eventos porque pode haver sempre alguma coisa que lhe interesse.

 

Aprender Português

Caso seja estrangeiro, há várias formas de aprender a língua de Camões – sendo que a melhor é sempre ter de resolver os problemas do dia-a-dia. Para se iniciar na língua, pode contactar a Universidade, que proporciona esses serviços.

Há também a hipótese de recorrer a outras escolas de línguas, como a RSL, associada ao Instituto Camões. Tem ainda a possibilidade de recorrer, por exemplo, a plataformas como a Superprof. Tem muitos professores à escolha, com preços e currículos diferentes.

 

GAE

O Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE) é uma estrutura de apoio ao emigrante criada através da celebração de um Acordo de Cooperação entre a Câmara Municipal de Aveiro e a Direção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (DGACCP).

Este gabinete presta serviço gratuito ao emigrante, residente ou não em Portugal, bem como aos seus familiares, ajudando-o na resolução dos diferentes problemas com que se depare.

 

Vida Turística

É impossível chegar à Veneza portuguesa e não notar a sua grande animação turística, diurna e nocturna, não atentar na gastronomia tradicional ou não perceber que, à boleia da universidade, chegou a uma cidade jovem e cheia de vida.

A gastronomia de Aveiro é rica e variada. As caldeiradas e ensopados de enguias ou de eirozes, a raia em molho de pitau, as enguias de escabeche, as espetadas de mexilhão e um sem número de outras deliciosas iguarias provenientes do mar e da ria fazem as delícias da mesa aveirense. No capítulo do vinho, não esquecer a produção da região demarcada da Bairrada. Na doçaria, os ovos moles são o símbolo de Aveiro por excelência.

Para conhecer melhor a região deve fazer um passeio pela ria nos barcos típicos, os moliceiros. Se puder, percorra a cidade nas bicicletas livres e ganhará logo outra perspectiva. Deve visitar o Museu Arte Nova e seguir o roteiro dos vários edifícios típicos de Arte Nova, como o Edifício da Casa dos Ovos Moles (A Barrica) ou o Edifício da Residência do Arquiteto Francisco Augusto Silva Rocha. Em termos de arquitectura religiosa pode visitar a Igreja do Convento de Santo António, a Sé de Aveiro, o Cruzeiro de São Domingos, a Igreja da Misericórdia e a Capela da Ordem Terceira de São Francisco. A Estação de Aveiro é também um dos pontos fulcrais de qualquer visita à urbe, por via dos seus históricos painéis de azulejos da Fábrica da Fonte Nova, reproduzindo motivos regionais.

Em matéria cultural, num ano em que o município prepara a sua candidatura a capital da cultura europeia, vale a pena espreitar o Teatro Aveirense e a sua programação; o Museu de Aveiro, sito num antigo convento dominicano; o Museu da Cidade de Aveiro; o Ecomuseu de Marinha da Troncalhada ou a Fábrica de Ciência Viva. Nas proximidades, o Museu Marítimo, em Ílhavo, é também uma boa aposta: é museu, aquário e faz investigação, dedicando-se às comunidades costeiras e a preservar a memória do trabalho no mar.

Veja também esta oportunidade “A Fujitsu Portugal tem novas oportunidades para si

2 thoughts on “Guia de Aveiro – As melhores cidades para trabalhar

  1. Paulo sergio cardoso esteves 27 Junho, 2018 at 20:44 - Reply

    Sou ourives com 15 anos experiencia acabamento.montsgem.fundi”cao.correntaria em geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *