8 maneiras de fazer um bom portfólio

Para se destacar e se candidatar de forma eficaz no mercado de trabalho, muitas vezes não basta um currículo ou carta de apresentação. Frequentemente um portfólio bem feito é o passaporte para chegar às entrevistas. Concentre-se nestas ideias e pense como pode fazer ou refazer o seu:

Portfólio e Currículo

São dois suportes diferentes, com funções distintas. O currículo é um documento oficial que, sucintamente, relata a sua formação e experiência profissional, sem grandes explicações. Já o portfólio é uma demonstração prática de projectos profissionais seus, ou em que participou, e visa dar exemplos concretos da sua experiência, conhecimentos, capacidades ou criatividade. Um bom portfólio pode abrir muitos caminhos.

Portfólio não é só para criativos

A ideia de que só pessoas que trabalham nas áreas de artes visuais ou em profissões criativas devem ter portfólio. Isso está ultrapassado e hoje muitas áreas profissionais recorrem a este tipo de ferramenta.

Formato físico, em Pdf ou online

Há vários formatos que podem ser especialmente indicados para si, a depender da área a que se candidata. O Pdf pode ser escolhido, por exemplo, para enviar uma determinada selecção para uma vaga específica, quando não quer enviar tudo ou acha que o empregador só quer ver alguns projectos. Pode também tê-lo sempre de reserva, para quando é solicitado este tipo de formato. O portfólio físico é útil para alguns trabalhos que brilham mais se forem impressos, para determinadas áreas (design, fotografia, etc.) ou já em contexto de entrevista. O portfólio online serve para vários tipos de profissionais. Hoje já não precisa de ter um site próprio ou comprar um domínio. Há plataformas interessantes e intuitivas, como o Behance, Wix ou WordPress, onde pode construir gratuitamente e manter actualizado o seu portfólio.

Uma boa selecção é essencial

Não deve querer pôr tudo o que já fez ou colocar projectos onde não teve um grande papel activo. É produtivo escolher exemplos, de preferência diversificados, do tipo de trabalho que produziu e/ou que pode produzir. Colocar muitos projectos todos parecidos, pode não ser particularmente interessante: foque-se na qualidade e não tanto na quantidade. Dependendo também do nível de experiência profissional, a selecção vai necessariamente variar. Pode ser interessante colocar também concursos em que participou, trabalhos de cursos que frequentou ou mesmo projectos próprios, desde que sejam apresentados com qualidade e critério. Coisas demasiado informais ou incompletas podem não funcionar bem – pense sempre no perfil da empresa para que se candidata ou cliente que lhe pede trabalho (em caso de trabalho freelance). Se tem dúvidas, consulte o site e redes sociais da empresa e de concorrentes do sector, e veja a forma como apresentam o seu trabalho e o tipo de comunicação que fazem.

Simplicidade é fundamental

O recrutador tem muitos portfólios para analisar: a verdade é que tem muito pouco tempo para o impressionar. Estruture e organize o portfólio de modo fácil de consultar e não se estenda demasiado.

Seja criativo e crie uma identidade visual

Uma boa forma de dar a conhecer a suas capacidades de pensamento, organização e cultura visual é conceber uma identidade própria para a sua apresentação, que passa por várias questões, como o tipo de letra, a cor ou a organização no espaço dos trabalhos. Não precisa de ser designer para fazer isso, com toda a ajuda tecnológica que tem disponível online de forma gratuita. Não mostre nada sem a apresentação adequada. Se não tem experiência, não se esqueça de partilhar o resultado com alguém da sua confiança, que tenha experiência e sentido crítico.

Inclua imagens e texto de qualidade irrepreensível

O seu portfolio é a sua ‘cara’. Para se promover como profissional, deve demonstrar cuidado e qualidade. Por mais interessante que possa ter sido um determinado projeto, se não tiver uma imagem com qualidade, exclua-o. O seu portfolio deve cativar quem o vê. Da mesma maneira, tudo o que escrever deve ser claro, sem gralhas ou erros e ter interesse. Se sentir demasiadas dificuldades nestas questões, para além de pedir ajuda a quem está à sua volta, há serviços profissionais que o podem ajudar. Mais vale investir um pouco do que apresentar algo que o possa prejudicar.

Use a interactividade e redes sociais

Pode aproveitar para gerar uma interacção com quem analisa seu portfólio. São, por exemplo, vídeos, links para os trabalhos, links para galeria de fotos e textos, aplicações, apresentação de campanhas em vídeos do Youtube, entre outros. A lista de recursos de uso acessível é grande.Por outro lado, não adianta muito ter um excelente portfólio e mantê-lo guardado na gaveta ou escondido num site ou plataforma sem o partilhar. Se conseguir, use redes sociais como o LinkedIn para apresentar, de forma faseada alguns dos seus projectos e ideias.

One thought on “8 maneiras de fazer um bom portfólio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *