Guia do Porto – As melhores cidades para se trabalhar

O Porto, ou Cidade Invicta, como também é conhecida, é a capital do Norte do país e, como tal, congrega em si boa parte das oportunidades para se trabalhar em Portugal. Apesar de mais pequena do que Lisboa, tem uma enorme força produtiva, nomeadamente na área cintura industrial da região, pertencendo à única área do país com volumes de exportação acima da importação. Como cidade turística tem crescido muito, seguindo as tendências das grandes capitais europeias e sofre já de um processo de gentrificação, embora menor do que a capital.

História

Tendo origem numa povoação celta, na época romana designava-se Cale ou Portus Cale, sendo por isso a cidade que deu origem ao nome de Portugal. No ano de 868, Vímara Peres, fundador da terra portugalense, teve uma importante contribuição na conquista do território aos Mouros, restaurando assim a cidade de Portucale. Em 1111, D. Teresa, mãe do futuro primeiro rei de Portugal, concedeu ao bispo D. Hugo o couto do Porto. Foi dentro dos seus muros que se casou o rei D. João I com a princesa inglesa D. Filipa de Lencastre e foi lá que nasceu o Infante D. Henrique, o navegador, impulsionador das descobertas.

A cidade fez muitos sacrifícios para apoiar a preparação da armada que partiu, em 1415, para a conquista de Ceuta, tendo a população do Porto oferecido aos expedicionários toda a carne disponível, ficando apenas com as “tripas” para a alimentação. Daí surgiu a alcunha de tripeiros para os naturais do Porto, tendo as tripas (ou bucho) ficado como prato charneira da sua gastronomia. No período de ocupação espanhola (1580-1640), a cidade continua a sua evolução: desenvolve-se administrativamente e ganha uma nova estrutura urbanística.

Depois da restauração da independência, o apogeu económico do Porto começa a ser digo de nota, atingindo a sua máxima vitalidade no século XVIII. A cidade desempenhou também um papel fundamental na defesa dos ideais do liberalismo, nomeadamente nas batalhas do século XIX. A lei de Mouzinho da Silveira de 1835 dita uma nova distribuição administrativa do território nacional. É depois com o código administrativo de 1878 que o Porto se torna capital de distrito e sede de concelho.

O século XX inicia-se agitado politicamente, sendo que a ditadura de João Franco teve como corolário o regicídio (1 de Fevereiro de 1908). O Porto, onde desde cedo se afirmavam os ideais republicanos, adere à implantação da República a 5 de Outubro de 1910. Após a implantação da República, a cidade conheceu novo impulso reformador, do qual se destaca a construção da Avenida dos Aliados, o coração da urbe que hoje conhecemos.

Geografia

Tem uma luz dourada especial e característica que vem também do muito uso do granito na construção, ao contrário do lioz na capital. O seu centro histórico encontra-se classificado pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade, desde 1996. O Porto fica situado na margem norte do Rio Douro, com Vila Nova de Gaia a ocupar a margem sul. O rio serpenteia por vales profundos com altas encostas de cada lado. O lado norte tem muitas colinas, por onde se distribui a riqueza arquitectónica da cidade, enquanto a margem sul leva até o planalto que está acima das famosas Caves do Vinho do Porto. A cidade cresce, assim, tendo como pano de fundo o Rio Douro que, ao subir, fica ladeado por encostas verdejantes de vinhas e olivais.

O Porto é a segunda cidade e o quarto município mais populoso do país. A cidade é o berço da grande região que é hoje a Área Metropolitana do Porto (AMP). Localizada no Litoral Norte de Portugal, a AMP abraça uma zona geográfica composta por 17 municípios contíguos, numa área aproximada de 2.040 Km2 com uma população residente a rondar 1.700.000 habitantes.  O município, com 41,42 km² de área, tem uma população de cerca de 238 mil habitantes dentro dos seus limites administrativos, sendo subdividido em sete freguesias.

O Porto possui uma localização geográfica privilegiada, complementada por uma moderna rede de acessos, que permite o fácil acesso, mais ainda com o incremento de voos low cost nos últimos anos.

Empresas e emprego

É importante espreitar à partida o sector produtivo do distrito, para perceber se na sua área de interesse, formação ou experiência há oportunidades que lhe interessem. No ranking de empresas disponibilizado pela imprensa da especialidade está a Sonae, Endesa, Lactogal, Super Bock, Mota-Engil, Alliance, OCP, Efacec ou Turbogás. É bom verificar as oportunidades nestes e noutros grupos, nos principais sites de emprego nacional. As páginas das empresas têm geralmente um formulário de recrutamento próprio, mesmo para candidaturas espontâneas.

Economia

Esta é a região onde se situam a maioria das pequenas e médias empresas do país, sendo também a que mais contribui para as exportações nacionais. Segundo dados dos últimos anos, a região norte produz 40% do valor acrescentado do país e tem 50% do emprego industrial, tendo uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 129%, contra a média nacional de 74%.

Duas importantes estruturas ajudam a esta economia: o Porto de Leixões, com 25% do comércio internacional do país e o Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, o segundo maior do país e galardoado em 2014 como o terceiro melhor aeroporto europeu.

Para além de todo o peso da indústria no distrito, que remonta ao século XIX, neste momento o município do Porto aposta fortemente no sector turístico, que conhece uma explosão inédita.

Habitação

Arrendar Quarto

O preço dos quartos para arrendar na cidade começa nos 130 euros.

Arrendar Casa

Se quiser arrendar uma casa pequena, de T0 a T2, tem hipóteses a partir dos 350 euros na região (arredores). Na cidade (concelho) os preços estão a subir muito e começam nos 450 euros.

Comprar Casa

Embora esta opção seja habitualmente encarada mais tarde, os preços começam nos 60 mil euros para uma habitação pequena.

 Transportes

A cidade tem uma boa estrutura de comunicações, por via aérea e rodoviária. Para deslocação diária, há uma estrutura considerável que contempla eléctricos, autocarros e metro – tendo este último contribuído em grande escala para a modernização da cidade. Tem 6 linhas e mais de 80 estações. Um bilhete diário de metro custa 1,20€. Mas há passes que agregam transportes, como o Porto Card ou o Andante Tour que compensam.

 Aprender Português

Se é estrangeiro, a Faculdade de Letras da Universidade do Porto tem abertas as inscrições para o Curso Anual de Português Língua Estrangeira.

Se quiser aprender à distância, o Instituto Camões tem boas hipóteses que se dividem em auto-aprendizagem, cursos básicos, premium e para fins específicos (adaptados a algumas áreas de trabalho).

Com patrocínio estatal, o Alto Comissariado para as Migrações promove várias ofertas formativas para estrangeiros.

Há também a hipótese de recorrer a outras escolas de línguas privadas e a plataformas como a Superprof e a Speak. Tem muitos professores à escolha, com preços e currículos diferentes (ao vivo ou por web cam), e pode aprender, ensinar e partilhar.

Um percurso turístico

O Porto é sem dúvida uma das cidades mais inspiradoras do país. Um roteiro seu, no meio de tanta coisa para conhecer, é apenas uma das vias para se aproximar dos seus encantos.

Conhecer a baixa da cidade, as suas ruas, igrejas, comércio, arquitectura tradicional e edifícios nobres é imprescindível. Passe também pela Avenida dos Aliados, zona dos Clérigos, com a famosa Torre, Praça da Batalha ou Praça D. João I, junto ao famoso Teatro Rivoli. Conheça a Rua Miguel Bombarda e as suas galerias de arte ou a Rua da Galeria de Paris e os seus restaurantes e bares.

Descubra a Livraria Lello, uma das mais belas do mundo, a Fundação de Serralves, a Casa da Música, o Palácio da Bolsa ou o Arquivo Fotográfico, na Cadeia da Relação. Conhecer o Palácio de Cristal, o seu jardim e a sua excelente vista é outra hipótese.

Em termos de espectáculos, é bom espreitar os programas variados dos Teatros de São João, Carlos Alberto ou do Coliseu. Conheça a zona da Ribeira, na margem norte, e o cais de Gaia, na margem sul, passando a ponte D. Luís a pé, de preferência. Se puder, faça uma visita às caves do vinho do Porto porque é sempre uma experiência memorável.

Passeie na Foz do Douro e faça o seu romântico caminho pedonal, conhecendo melhor a zona e a sua oferta. Vá até Leça da Palmeira para conhecer a Casa de Chá da Boa Nova, projecto premiado do arquitecto Siza Vieira.

Obrigatório é ainda provar a gastronomia típica – com as suas tripas, francesinhas e vinho do Porto – sem esquecer a restante e variada oferta nacional e internacional.

Bom passeio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *